Tempo, tempo, tempo, tempo...

domingo, 21 de novembro de 2010

Verdades, bobagens e Mansim...

Este é o André Mansim, cartunista, escritor ( sem obra publicada ) e dono do blog "verdades e bobagens" ( um lugar lindãooooo! ). Estou sempre lendo suas postagens e ele também costuma ler as minhas, claro! Sou fã do seu humor, dos seus textos de linguagem agradável e também do seu lado bastante sensível ( ele, como eu, adora animais! ). Hoje fiz uma peripécia: fui lá no bloguinho dele e roubei o texto que segue, porque gostaria de poder compartilhá-lo, mas compartilhar aqui no meu espaço! Enquanto roubava, deixei meu recadinho lá no seu blog alertando-o de que nem adiantará me cobrar seus direitos autorais! kkkkkkkkk Espero que gostem ( tanto quanto eu! ) A linguagem dos poetas ( Por André Mansim - sem alterações) Muitas vezes nós somos enganados pela linguagem rebuscada que os poetas usam para formularem seus textos . Se a gente for prestar atenção mesmo , no conteúdo da coisa a gente percebe como a linguagem poética pode esconder umas coisas que muitas vezes se faladas na linguagem coloquial fica até meio feião de ler e de falar . Resolvi então traduzir para o coloquiês alguns exemplos do rebusquês . Exemplo 1 : Sua tez enrubreceu , ao ver os contornos curvilíneos de sua amada . Seu coração bombeava emoções que sufocavam seu ser .Ela teria que descarregar seu instinto animal e seus fluidos carnais urgentemente !!Tradução : Ou esse cara dá uma rapidinho ou ele vai ter um tróço !!! Exemplo 2 : Ludicamente a criança caminha num mundo de sonhos sobre o jardim em que sua mãe , feito uma artesã , criara sua mais bela obra prima ...Tradução : Eita moleque bagunceiro , estragou todo o jardim que a mãe penou pra deixar bonitinho !! Ah ... vai apanhar na certa. .Exemplo 3 : Os alvos e parcos cabelos brancos que adornavam aquela cabeça octagenária , camuflavam seu falo em riste e seus olhinhos vivos que fitavam entusiasticamente a rebolativa e quase desnuda , arrumadeira da casa de seu derradeiro rebento ...Puxa ... parece lindo né ? Mas lá vai a tradução :Que véinho tarado esse ... Com oitenta anos , ( de pinto duro ) e de zoião na empregada do filho mais novo , e ela por sua vez , não tem nada de santa , com essas roupinhas curtas se mostrando e se insinuando , pra lá e pra cá . Exemplo 4 : Enquanto a boêmia o levava aos braços calientes das damas da noite . A rainha do seu lar , preparava seu recanto e esperava numa noite de longos minutos , a fitar aflitamente o relógio que lhe respondia : Tic tac , tic tac, tic tac ...Agora deu vontade de chorar ... Como é bela essa cena de amor ... Mas traduzindo : O cara é putanheiro e essa mulher é uma tonta !Então amigo leitor , preste atenção nessa linguagem dos poetas , que esses caras são espertos , falam coisas que a gente não entende ou apenas querem passar despercebidos pela nossa cabeça de mamão e nossa linguagem chula e coloquial ... ( http://amansim.blogspot.com/)

6 comentários:

Folhetim Cultural disse...

Olá estou fazendo uma pesquisa sobre Senna, pois irei fazer uma homenagem a ele em janeiro com fotos, vídeos, depoimentos de fãs enfim.. Assim achei este blog de muito bom gosto já estou seguindo abraços. este é o endereço do meu blog espero que visite e goste: informativofolhetimcultural.blogspot.com

Ass: Magno Oliveira
Folhetim Cultural

Andre Mansim disse...

Hahahahahaha, tudo bem agente Japa, pode roubar a vontade!
Afinal a gente escreve é para que os outros leiam mesmo né?

ebanobrasileiro disse...

Pobre seria a poesia sem as licenças poéticas, o que se passa na cabeça de um poeta, não se traduz, nenhum poeta quer se fazer entender, quer apenas surpreender.
Escrevi minha carta para papai noel antes da que a senhora manda todo ano. Ano passado ele disse que não me atendeu porque seus pedidos eram grandes demais e ele iria demorar muito na sua casa e não teria tempo de vir à minha, mas a senhora pode ir no meu blog e dar uma olhadinha no que eu pedi, a senhora e sua família estão incluídos.

Enkantinho disse...

Magno,

Sua visita é motivo de lisonja: o seu blog é extremamente bacana e informativo!
É claro q tbém quero contemplar o seu trabalho, tá?

Mansim,

Ufa! Q bom q aceitou! rsrsrs

Renato,

Estou indo correndo ler o seu post, hein?

Sou feliz por tê-lo como assíduo leitor!

Folhetim Cultural disse...

Obrigado pelo carinho e atenção!

lourdes imoto disse...

Alguém pode até achar um texto com tom "pejorativo", mas é assim q o Mansim ( rimou! ) interpreta a subjetividade, as conotações, os sentidos figurados e as entrelinhas... O bom do texto literário é q ele possui infinitas faces e a fala é um instrumento que estará sempre diferenciando um indivíduo do outro!