Tempo, tempo, tempo, tempo...

sábado, 11 de dezembro de 2010

ESCRITO EMPOEIRADO...

NO PALCO DA VIDA
Levada pelos braços da saudade/ Recosto o corpo cansado no seio da lembrança/ E cerro os olhos/ Vejo sonhos/ Nos sonhos, você!/ Olhos: estrelas que brilham/ Que falam no silêncio.../ Flor que se abre/ Me vem seu sorriso/ Néctar/ Essência! / Olhos seus: olhar de Medusa a me petrificar/ Êxtase/ Contentamento/ Sentido de paz/ Realização espiritual./ Num fascínio platônico/ Corro/ Quero agarrar-me ao seu corpo/ Sentir o seu abraço que um dia senti em vida!/ Olhos abertos/ Sonhei.../ A saudade e a dor me chegam juntas / Repudio-as porque embebedam/ Tiram-me a lucidez!/ Cuspo na cara da realidade:/ Trem que lhe transportou a um lugar longínquo/ Pés não o alcançam/ Olhos não o veem./ Vida: palco inseguro!/ Os olhos da criança que passa, não são os seus/ E se dou-lhe flores sobre o seu túmulo/ Poderia estar dando-as em mãos! / Vida: palco sem protagonista,/ teatro sem cor e sem aplausos./ Música sem meu violão/ Violão de cordas/ Ligadas Atadas ao meu coração/ ( A GIANNINI, a criança mais doce que já conheci - ano de sua morte)

5 comentários:

Fernanda Rocha Mesquita disse...

a morte de uma crianca sempre e' dolorosa. eu tive a terrivel experiencia de conhecer uma crianca que habituada a ao comer, morreu quando lhe foi tentado dar alimento. e existem tantas assim. me desculpe mas as suas palvras me fizeram lembrar essa crianca. bom fim de semana
fernanda

Enkantinho disse...

Fernanda,

Sinta-se à vontade no blog: vc é uma das pessoas q sempre busca me prestigiar e sou feliz por tê-la com leitora!

Gde abraço e volte sempre!

ebanobrasileiro disse...

É algo que sempre quando acontece, com alguém que conhecemos, ou ao menos estamos perto, nos atinge em cheio e faz doer demais. Nos rumos corretos da vida, sempre os mais velhos devem ir primeiro e quando ocorre o contrário, ficamos achando que mudaram os rumos da vida, mas a vida é algo inexplicável e seu fim tão repentino doi demais... desculpe estas coisas tocam fundo meu coração.

ebanobrasileiro disse...

Esqueci de dizer, enviei pra senhora por e-mail os primeiros versos de meu poema TERRA MINHA, preciso de uma opinião isenta. Minha mulher disse que está ótimo, mas ela é suspeita. A senhora será imparcial, com certeza.
Se a senhora receber um e-mail de ebanobras@hotmail.com, não se assuste, sou eu. abraços, Renato

Enkantinho disse...

Renato,nunca precisa pedir desculpas, querido... O espaço é tbém seu!

Qto ao seu poema, fico meio sem jeito de tornar-me "avaliadora", pq sei de seu nobre dom; entretanto, ñ posso negar-me em meio à minha lisonja!

Abração!