Tempo, tempo, tempo, tempo...

sábado, 5 de fevereiro de 2011

EU FINJO TER PACIÊNCIA!






PACIÊNCIA

Lenine

 Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma 
 Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
 A vida não para
 Enquanto o tempo acelera e pede pressa
 Eu me recuso faço hora, vou na valsa 
 A vida é tão rara
 Enquanto todo mundo espera a cura do mal
 E a loucura finge que isso tudo é normal 
 Eu finjo ter paciência 
 O mundo vai girando cada vez mais veloz 
 A gente espera do mundo e o mundo espera de nós 
Um pouco mais de paciência 
 Será que é tempo que lhe falta pra perceber
 Será que temos esse tempo pra perder 
E quem quer saber, a vida é tão rara... tão rara
 Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
 Mesmo quando o corpo pede um pouco mais de alma 
Eu sei, a vida não para A vida não para não
 Será que é tempo que lhe falta pra perceber 
Será que temos esse tempo pra perder 
 E quem quer saber, a vida é tão rara... tão rara 
 Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
 Mesmo quando o corpo pede um pouco mais de alma 
 Eu sei, a vida não para 
 A vida não para não
 A vida não para

4 comentários:

Poeta del Cielo disse...

grande verdade en esos momentos instantes segundos .. a vida nao para o relogio dela anda sem parar e so ir pra frente y deixar nelas nossas huellas con amor..


saludos
otima semana}
abracos

Harah Nahuz disse...

Nossa,ouvi tanto essa musica,com o intuito de lembrar...um pouco mais de paciência!A vida é tão Harah,tão Harah,hehehehe!
Vim aqui retribuir,e me deparo com um blog tão lindo,amei,estou seguindo:)
Grande beijo
www.dancaharah.blogspot.com

Enkantinho disse...

Poetinha,

Dulce amigo,

Siempre hermosos tus comentários!

Gracias... Muchas gracias porque es mi amigo!

Enkantinho disse...

Harah, hararararara! Rara é tbém vc brincando de fazer trocadilhos, hein?

Beijo de estima, menina sapiente!